quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Presente


Eu ganhei um presentão de Natal. O melhor de todos. Ele ainda tá embaladinho e chega no fim de abril e a DINDA tá doida pra agarrar.
Eu serei madrinha da Marina. Mesmo que não fosse, eu amaria e amo minha minha mocinha da mesma forma, ela já é o meu mais novo amor, mas agora tem outro "gostinho".

Obs.: Tô tentando fechar a boca, mas não consigo. :)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

O medo de um desenho

 
Pego os trabalhos da escola da minha filha e fico admirando os desenhos que ela faz. Quando um deles me deixa pra morrer...
Era ela e o pai. Os dois juntos. E eu não tava ali.
Como assim?
(A mãe neurótica deixa todos os trabalhos de lado e se preocupa apenas com esse).
 
- Filha, por que tu não desenhou a mãe?
- Ai mãe, não tava com vontade.
- Mas filha, tu não gosta da mãe? A mãe tá sempre contigo, blá, blá, blá...
- Gosto mãe, mas eu tava com saudade do meu pai e desenhei ele. Outro dia desenho tu, tá?
 
Nãooooooooooo!!!
Chorei, liguei pra minha mãe, enchi minha filha de perguntas, falei até com uma psicóloga.
Foi aí que ela me disse que talvez minha filha estivesse sentindo a falta do pai. E já que temos um convívio maior, minha pequena se achou "no direito" de não me colocar no desenho.
 
Me acalmei e vi que eu aparecia em outros trabalhos. Nós duas no supermercado, passeando... Eu e ela. Mais ninguém.
Ai filha desculpa, mas é tanto amor que eu tenho por ti que tô até pensando em falar com a psicóloga mais vezes. :)

 

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Ainda enganando o Papai Noel

Isabelle: Mãe, de noite todo mundo dorme?
Mãe: Sim filha, todos descansam e dormem.
Isabelle: Mãe, já tá de noite?
Mãe: Sim. Tá na hora de dormir.
Isabelle: Então dá o meu bico que o Papai Noel tá dormindo, né?

domingo, 16 de dezembro de 2012

Irmãos

Sempre quis ser mãe. E quando descobri que estava grávida eu torcia para que fossem dois.
Deus não quis assim e eu não reclamei, porque Ele me deu uma filha saudável, que era o que eu também pedia.

Deus faz as coisas certas, né? Porque agora eu acho lindo... o dos outros. 
Quando ela nasceu, achava que não ia conseguir me "virar" sozinha, e descobri em mim uma pessoa que nem sabia que existia. Mal eu sabia que essa fase de recém-nascido era a mais fácil.

Agora com 4 anos, minha filha exige que me vire em duas para me manter presente na vida dela e essa correria do dia a dia é um dos motivos que me faz pensar em não ter outro filho.
Aí eu mudo de ideia quando vejo a barriga linda da minha irmã. E mudo de novo quando vejo o carnê da escola.
Pego as filhas da minha amiga e prima no colo e me dá uma tremenda saudade e penso que seria mais difícil ainda meu cotidiano com dois filhos, porque trabalho fora e não quero parar.

E cada vez que vejo roupinhas de bebê e toda a ansiedade da chegada eu penso em ter outro.
Cada vez que penso no amor que tenho pelos meus irmãos e o quanto eu posso contar com eles, penso que não devo ser egoísta e que posso proporcionar o mesmo para minha filha.

E enquanto eu penso demais o tempo vai passando pra mim, pra ela.
Viu porque eu queria ter tido gêmeos?

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Pérolas


Isabelle: Mãe, quero falar com o Papai Noel. Quero pedir minha boneca pra ele.
Mãe: Tive uma idéia. Por que tu não dá o bico pra ele? Diz que vai se comportar e assim ele te dá o que tu pediu?
Isabelle: Mas só vou dar meu bico se eu ganhar a boneca, né?
Mãe: Sim. Vai fazer uma troca, combinado?
Isabelle tem um papo gostoso com o Papai Noel do shopping, tira foto, diz que se comporta, diz que as coisas dela estão arrumadas e se "espiá-la", verá que merece a tal boneca que já está embaixo da árvore e ela nem sabe.

Em casa na hora de dormir, pede o bico.
Mãe: Filha, tu esqueceu que tu deu o bico em troca da boneca?
Isabelle: Mãe, eu dei aquele, mas tenho outro.

O Coelhinho da Páscoa já tinha sido enganado. Agora sobrou para o Papai Noel.

        

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Ser mãe

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Abraço


Por um mundo com mais abraços.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Tentando - Parte III

 
 
Minha filha tem teimado bastante e quando não caio na lábia dela, fica chorando. Um choro de manha que dura um tempo considerável pra me deixar doida.
Já fui na escola, conversei com a professora e to tentando entender o porque dessas birras.
 
Lendo o http://meuprojetinhodevida.blogspot.com.br/, adorei a idéia da Roberta, referente ao Quadro do Sorriso, então resolvi testar aqui em casa.
Registramos se o comportamento foi bom ou ruim, se obteve "as carinhas felizes", ao final da semana, ela ganha um brinde (pode ser uma lembrancinha, um passeio, andar de bicicleta, pracinha, etc).
 
A "missão" começou na segunda-feira e ela tá empolgada e obediente.
:) pra ela e pra mim também. 
 
 

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Pérolas


Minha pequena não queria sair do "Pico do Monte Negro". Confesso que nem eu. Lá, onde há uma das mais belas paisagens do nosso Estado, quase divisa com SC, eu dei uma flor a ela com a intenção que parasse de chorar.
 
Como estávamos perto da Serra do Rio do Rastro, resolvemos esticar a viagem e ela foi segurando a margarida. Só largava quando saía do carro, mas ao entrar, pegava de volta. E eu expliquei que ela não precisava ficar segurando a flor, podia deixá-la na cadeirinha ou em outro local (a essa altura a margarida já não era mais a mesma). Foi quando ela me disse que iria cuidar para levá-la de presente para a Vó Zeza. Adorei o gesto. São nessas horas que percebo que não tenho feito um mal "trabalho".
 
À pedido, cheguei em casa e coloquei a triste margarida na água. E foi assim que no outro dia, minha mãe recebeu uma das mais belas flores da vida dela.

 

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Tentando - Parte II


E aí a pessoa que mais amo nesse mundo me enfrenta. Me intimida. Me testa.
Como eu sempre cedi, ela percebeu o quanto é útil fazer birra pra conseguir o que quer.
Hoje eu estou pagando a língua quando dizia: "Filho meu não vai gritar nem se jogar no chão." Fácil, fácil criar o filho dos outros, né?

Sem perceber eu alimentava esse comportamento e hoje vejo o quanto posso afetar a vida da minha filha ao dizer sempre sim. E o quanto ela pode afetar a minha, porque quando isso acontece me sinto envergonhada e culpada.
Estou tentando não ceder na hora e nem depois. E torcendo para que ela entenda que um não hoje vai ser um sim amanhã.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Parabéns


Parabéns para aquele que tem um dos melhores abraços do mundo.
Parabéns para o meu filho que amo tanto.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Tentando...

 
Na minha casa tem brinquedos para todos os lados. E quando digo "todos os lados", são todos mesmo. Tem bala, pirulito, bolacha recheada, bico, tv no quarto, birras e choro quando contrariada.
 
Mas tem também frutas, livros, conversas, paciência e amor. 
 
Certeza se estamos fazendo certo não há, mas temos uma imensa vontade de acertar. Aqui, na nossa casa, sem interferência de ninguém. 
 
 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Pérolas


Isabelle: Mãe, eu quero ir para a escola com esse vestido (de manga comprida) e meia calça.
Mãe: Filha, tá calor. Se eu fosse tu, iria de bermuda e camiseta.
Isabelle: Mãe, tu não é eu. Eu sou uma princesa.
.................................................................................................................................

Isabelle: cantando: Eu sou bonita♫ Eu sou bonita ♫ 
Pai: Quem te disse isso?
Isabelle: Minha mãe. Ela sempre diz que sou bonita.
.................................................................................................................................

Mãe: Filha, tu vai deixar a tua boneca na vó?
Isabelle: Sim.
Dá um grito e diz: Vó, cuida bem da tua bisneta, tá?

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Chances de ser menina


80% de chance:

De eu ganhar outra filha e claro, a Bella ganhar uma irmã.
De aumentar a roda da fofoca.
De brincar de boneca e casinha.
De pegar roupa emprestada.
De gastar mais com acessórios.
De querer que a relação que temos com a nossa mãe se repita.

Mana, eu amo ser mãe de menina e sei que tu também vai gostar. Teu mundo agora vai ser cor de rosa.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Pérolas


Véspera dia das crianças, eu preparando uma cesta de produtos para nenê, já que ainda não sei o sexo do meu sobrinho(a) e minha filha querendo que eu pegasse os brinquedos quando ela era de colo.
Estavam lá, numa dessas caixas organizadoras, quietos.
 
Isabelle: Mãe pega aqueles brinquedos quando eu fui pequenininha?
Mãe: Ah filha, deixa lá. Agora tu é uma mocinha e nem brinca mais com eles...
Isabelle: Mãe, eu quero separar pra emprestar para o nenê da Dinda Noka.
Mãe: Claro que a mãe pega, filha. :)
 
Eu não estou grávida, mas minha filha sabe que tá ganhando um irmão (ã).

 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Reflexão

 
Clique na imagem.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Aprendizado



Para quem é ignorante no assunto.
Lembrando que ignorante significa: "que não é instruído em certas coisas".

http://globotv.globo.com/rede-globo/esporte-espetacular/v/esporte-espetacular-mostra-a-historia-da-menina-que-pelo-esporte-trata-o-autismo/2164975/

Se mesmo assim tiver preconceito, cochichar e se achar superior à um autista, eu lamento, lamento muito. E digo que o significado da palavra ignorante pra ti significa: estúpido, idiota.


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Meu dia



Que eu tenha sempre: Saúde. Colo de mãe. Sorriso da minha filha. Conversa fiada. Sorvete de brigadeiro. Educação. Livro. Churrasco. Amor. Filme bom. Abraço apertado. Minha família. Viagens. Brilho no olho. Força. Fé.
Amém.
 
 

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Dicas da mãe

Filha,

Tu não precisa estar sempre certa, ok?
As coisas nem sempre serão do teu jeito e na hora que tu quiser.
Seja educada sempre.
Faça o que tu quiser profissionalmente e se der dinheiro melhor, porque infelizmente a gente não consegue viver sem ele.
Dor de amor passa, viu?
Pratique esportes e o inglês.
Agradeça pela tua saúde e não reclame de barriga cheia.
Hoje tu só tem 4 anos, e Deus tem sido generoso contigo.
Escolha uma fruta quando sentir vontade de comer doce, mas pode devorar uma barra de chocolate quando tiver na TPM.
Leia.
Respeite as pessoas.
Brinque. Tome banho de chuva. Pise na grama sem calçado. Se suje. E cá pra nós, eu vou entender se tu apertar a campainha de alguém e sair correndo...
Estude.
Tenha paciência com os teus pais, mas tu realmente só vai entender quando for mãe.
Viaje.
Tenha filho depois de formada e de preferência depois dos 30.
Namore, mas só case com quem tu ache que será um bom pai. Isso vai facilitar muito as coisas.
Seja minha amiga.
E lembre-se: eu estarei aqui sempre, mesmo tu não dando bola para as minhas dicas.

Te amo muito.
Com amor,
Mãe

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Vida


Ela é a alegria da casa.
Ela conta histórias, canta e dança.
Ela come muito, mas não engole qualquer coisa.
Tem personalidade.
Ela pergunta, mas nem sempre se contenta com a resposta.
Ela quer aprender a contar em inglês.
Ela me faz voltar a ser criança e enxergar bichos nas nuvens.

Eu não sou nada sem ela. Ela é a minha vida.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Pérolas



Filha: Mãe, olha! Eu adoro o Bolota! E adoro o dono dele também!!!

* Eu também filha, adoro o "dono" do Bolota.

domingo, 16 de setembro de 2012

Pérolas


Dinda Noka: Bella, vai desfilar amanhã com a escola? (Desfile de 7 de setembro)
Bella: Não. Vou desfilar com meus colegas, a escola vai ficar lá.
...................................................................................................................................

Mãe: Filha, para quieta! Olha lá, vamos olhar o Tufão.
Bella: Tufão??
Mãe: É, olha só... Eu acho o Tufão lindo, tu não acha?
Bella: Ai mãe, eu prefiro esse. (Apontou para o Adauto)

Minha filha é unica e tem bom gosto.
...................................................................................................................................

Mãe: Isabelle, tu anda muito teimosa. Não vou mais te levar pra passear.
Filha: Ué, eu peço para o meu pai.
Mãe: Não. Eu vou conversar com o teu pai e ele também não vai te levar.
Filha: Eu vou sozinha então.
Mãe: E se te roubarem????
Filha: Eu grito Socorro!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Pérolas


Filha se arrumando pra sair. Coloca um escapulário, olha para o mesmo e diz:
- Papai do Céu e Mamãe do Céu, cuida de mim.

Eles cuidam filha. Cuidam muito.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Educação

 
Ser mãe é fácil só na TV e nas revistas. Eu não acho fácil educar.

Minha filha é fonte das minhas principais alegrias, mas também das maiores preocupações.

Não sei impor limites a ela e nem mostrar minha autoridade. E claro, que ela já sabe disso. Com 4 anos e às vezes, atitude de 12, tem um sorriso que me "amolece".

Ela é decidida e teimosa. Ao mesmo tempo que me irrita, me enche de admiração. Ela sabe que comigo tudo é mais fácil, mas tenho medo que isso reflita lá na frente...
...E assim, eu vou tentando não me render às exigências dela. Espero conseguir, se não, terei que chamar a Super Nanny.

(Não, mas não é uma boa. É bem provável que quem vá para o "cantinho da disciplina" seja eu).

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Presente de Deus


Meus irmãos, meus cumpadres, meus amigos,

Eu estou MUITO, MUITO feliz com esse "presente" que a vida deu a vocês (e pra nós).
A Bella tá ganhando um irmão ou irmã. Sim, porque filho dos meus irmãos, são meus filhos também.

Vocês vão sentir na pele a maior alegria que existe. O amor incondicional. O amor infinito.

E eu estarei aqui do lado de vocês sempre. Pra ajudar no que for necessário e encher meu sobrinho ou sobrinha de "balda".

Com amor,
Tia Inha

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Pérolas


Mãe: Filha, hoje tem Carrossel.
Filha: Eu não gosto mais do Carrossel.
Mãe: Ué, por quê???
Filha: Mãe, a Maria Joaquina faz muita coisa errada para o Cirilo.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Meu pai


Outro dia dos pais, sem o meu.

O homem que me ensinou o que é certo e errado, me deu liberdade (até demais, eu diria), pagou minha faculdade, minha ginástica e o meu inglês.
O homem que comprou uma casa grande na praia porque queria todos lá. Que colocava apelido em todo mundo (coitados dos "agregados" da família).

O homem que fazia a gente rir e nos tapava de noite. Que tomava cerveja comigo.
O homem que cogitou a idéia de não ensinar a minha irmã a caminhar, pois ela era a caçula e não queria que ela crescesse. O que ia pra rua passar algo na janela de veneziana para meu irmão se assustar (no bom sentido) e dormir.

O homem que gritava, prometia que ia nos bater e nunca batia. Quem me destapou quando eu nasci pra ver se tinha os pés parecidos com os dele.
O homem com quem eu disse que ia casar.

Domingo eu comemoro com os pais dos outros, mas sem esquecer do meu.


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O que me irrita


Me irrita:
- Gente sem noção;
- Engordar;
- Doença;
- Cozinhar;
- Cólica;
- Gente que tira o bico da minha filha e diz que ela tá feia assim (ela é linda até chupando limão);
- Quando a faxineira marca e não vai;
- Angústia;
- Dormir com a luz acesa;
- Gente que subestima;
- Manga;
- Estupidez;
- Quando a Maria Joaquina esnoba o Cirilo;
- Mulher que tem tempo pra namorar, academia, salão, etc, mas não tem tempo para os filhos;
- Gente neurótica por limpeza;
- Dieta;
- Programa do Faustão;
- Preconceito;
- Gente que gosta de "criar" os filhos dos outros;
- Perder dinheiro;
- Gente que lê o blog e não deixa comentários.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Susto


No início da gravidez, tive um sangramento. (Hoje eu sei que acontece bastante, que o sangue é mais escuro e o fluxo é menor). Aquele sangramento me deixou angustiada, pois eu achei que estava perdendo o que mais queria nessa vida, mas ao mesmo tempo foi bom porque foi um alerta.

Eu trabalhava bastante e tava preocupada com a minha ausência na empresa (licença maternidade), pois nesse período, a crise finceira de 2008 começava a dar sinais. Mas às vezes Deus manda "uma mensagem" pra gente se tocar e mudar.
  
Ontem aconteceu a mesma coisa com uma amiga. Espero que seja Deus pedindo para ela dar uma desacelerada. Tenho fé que daqui há alguns meses a gente tenha a mesma história pra contar.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Pérolas


Isabelle brincando de médica e "examinando" a amiga Juliana...

Amiga: Ai Dra., eu estou com uma dor no coração.
Dra. Bella: Por que?
Amiga: Saudade do meu namorado.
Dra. Bella: Ué, então vai na casa dele!

É incrível como as crianças são sinceras, espontâneas e simples.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Vida nova


Amanhã chega nesse mundo uma nova integrante da família Souza.
Alice, apressadinha, vai chegar um pouquinho antes, mas é porque ela não tá aguentando ficar de fora das nossas jantas e não está entendendo a ansiedade da gente.
Junto com a Alice, tá nascendo uma vontade de ter outro filho(a).
Como vontade dá e passa, vou esperar ela passar... ou não.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Vida simples


Filha,

Eu não sei ser rígida contigo. Não sei te colocar de castigo. Acho difícil te dizer não.

Tu não precisa se preocupar em cuidar do meu celular, mas quero que me ligue quando não estiver bem.
Comigo tu pode desenhar e pintar de canetinha, mas tem que fazer um desenho só pra mim.
Comigo tu pode molhar o banheiro, mas tem que cantar quando tomamos banho.
Comigo tu pode pular na cama, mas tem que deitar do meu lado quando cançar.
Comigo tu pode dormir até tarde, mas depois acordar e me dar um beijo de bom dia.

Comigo tu pode derramar comida, mas é a minha que tu tem que elogiar.
Comigo tu pode chupar bico, mas é no meu colo que quero que fique quando estiver com sono.
Comigo tu pode tomar mamadeira, mas é o meu mamá que tem que ser o mais gostoso.

Comigo tu pode tudo, só não pode me deixar. Tu é a parte da minha vida que eu não consigo viver sem.
É isso filha. A vida é simples. A gente que complica.

domingo, 24 de junho de 2012

Minha Vida



Sete bilhões de sorrisos, e o seu é o meu preferido.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Ser mãe...

Ser mãe é...

... Não querer que o filho cresça;
... Guardar aquela tirinha do exame de farmácia como lembrança da primeira emoção;
... Se preocupar sempre;
... Arrumar a mochila pensando no quanto o tempo pode mudar durante o dia;
... Carregar a mochila, o filho, a bolsa e um brinquedo tudo ao mesmo tempo;
... Querer que o filho sempre coma mais um pouco;
... Ter o sono mais leve e aumentar a dor nas costas;
... Se sentir culpada em deixar o filho em casa com febre pra poder trabalhar;
... Agradecer a saúde do filho;
... Querer amamentar e não se importar com os "peitos caídos".
... Aprender mais do que ensinar;
... Priorizar sempre o filho;
... Ah, ser mãe... Ser mãe é inexplicável.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Fico assim sem você

Ontem eu chorei.
Chorei ao ver minha filha se apresentar na festa do Dia das Mães.
Chorei porque ela faz eu me emocionar todos os dias e ontem não foi diferente.

Ontem ela cantava pra mim: ♪ Eu conto as horas pra poder te ver ♪.
E eu filha, canto pra ti: ♫ Eu não existo longe de você. ♫

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Mocinha

A oitava maravilha do mundo...


domingo, 13 de maio de 2012

Feliz Dia das Mães


Vamos esclarecer alguns pontos sobre mães,ok?
Desconstruir alguns mitos.
Não, não precisa se preocupar.
Não é nada ofensivo, eu também sou mãe...e avó!
Vamos lá:

MÃE É MÃE: mentira !!!
Mãe foi mãe, mas já faz um tempão!
Agora mãe é um monte de coisas: é atleta, atriz, é superstar. Mãe agora é pediatra, psicóloga, motorista. Também é cozinheira e lavadeira. Pode ser política, até ditadora, não tem outro jeito.

Mãe às vezes também é pai.
Sustenta a casa, toma conta de tudo, está jogando um bolão.
Mãe pode ser irmã: empresta roupa, vai a shows de rock pra desespero de algumas filhas, entra na briga por um namorado. Mãe é avó (oba, esse é o meu departamento!): moderníssima, antenadíssima, não fica mais em cadeira de balanço, se quiser também namora, trabalha, adora dançar.

Mãe pode ser destaque de escola de samba, guarda de trânsito, campeã de aeróbica, mergulhadora.
Só não é santa, a não ser que você acredite em milagres.
Mãe já foi mãe, agora é mãe também.

MÃE É UMA SÓ: mentira !!!
Sabe por quê?
Claro que sabe!
Toda criança tem uma avó que participa, dá colo, está lá quando é preciso.
De certa forma, tem duas mães.
Tem aquela moça, a babá, que mima, brinca, cuida. Uma mãe de reserva, que fica no banco, mas tem seus dias de titular.

E outras mulheres que prestam uma ajuda valiosa.
Uma médica que salva uma vida, uma fisioterapeuta que corrige uma deficiência, uma advogada que liberta um inocente, todas são um pouco mães. Até a maga do feminismo, Camille Paglia, que só conheceu instinto maternal por fotografia, admitiu uma vez que lecionar não deixa de ser uma forma de exercer a  maternidade.
O certo então, seria dizer: mãe, todos têm pelo menos uma.

SER MÃE é PADECER NO PARAÍSO: mentira!
Que paraíso, cara-pálida?
Paraíso é o Taiti, paraíso é a Grécia, é Bora-Bora, onde crianças não entram.
Cara, estamos falando da vida real, que é ótima muitas vezes, e aborrecida outras tantas, vamos combinar. Quanto a padecer, é bobagem.

Tem coisas muito piores do que acordar de madrugada no inverno pra amamentar o bebê, trocar a fralda e fazer arrotar.
Por exemplo? Ficar de madrugada esperando o filho ou filha adolescente voltar da festa na casa de um amigo que você nunca ouviu falar, num sítio que você não tem a mínima idéia de onde fica.
Aí a barra é pesada, pode crer...

MATERNIDADE é A MISSÃO DE TODA MULHER: mentira !!!
Maternidade não é serviço militar obrigatório!
Deus nos deu um útero mas o diabo nos deu poder de escolha.
Como já disse o Vinicius: filhos, melhor não tê-los, mas se não tê-los, como sabê-los?
Vinicius era homem e tinha as mesmas dúvidas. Não tê-los não é o problema, o problema é descartar essa experiência.

Como eu preferi não deixar nada pendente para a próxima encarnação, vivi e estou vivendo tudo o que eu acho que vale a pena nesta vida mesmo, que é pequena mas tem bastante espaço.
Mas acredito piamente que uma mulher pode perfeitamente ser feliz sem filhos, assim como uma mãe padrão, dessas que têm umas seis crianças na barra da saia, pode ser feliz sem nunca ter conhecido Paris, sem nunca ter mergulhado no Caribe, sem nunca ter lido um poema de Fernando Pessoa.
É difícil, mas acontece.

MAMÃE, EU QUERO: verdade!
Você pode não querer ser uma, mas não conheço ninguém que não queira a sua.

Martha Medeiros

terça-feira, 8 de maio de 2012

Pérolas

Pai: Isabelle, vem secar o cabelo!
(Filha brincando e se fazendo de surda...)
Pai: Isabelle, tem que secar o cabelo pra não dormir com ele molhado. Quer ficar doente?
(Filha brincando e se fazendo de surda...)

Mãe: Filha, não tá escutando o teu pai?
(Filha brincando e se fazendo de surda...)
Pai: Bom, se tu ficar doente, vai tomar injeção!

Filha finalmente escuta, coloca a mão na cintura e diz que estamos incomodando. Que ela vai pra casa da vó Zeza.

Mãe: :(
Pai: Quer ir pra casa da tua vó? Pode ir, mas não leva os brinquedos e nem as roupas. Vai sair da escola e não vai na Disney no Gelo e nem ganhar a festa de aniversário da Moranguinho.
(Filha pensativa)
Filha: Vou falar uma coisa pra vocês: Se vocês não me incomodarem, eu fico aqui. Se incomodarem vou pra casa da minha vó, tá?

Eu sabia que um dia escutaria isso, mas achei que fosse mais tarde...

quinta-feira, 19 de abril de 2012

‎10 coisas sobre ser madrinha

 
1) É um privilégio enorme!!
2) Uma grande responsabilidade!
3) Uma delícia! Tem coisa mais gostosa do que ser chamada de “Dinda”?
4) Um vínculo eterno
5) Uma chance de ter um filho que não é seu
6) Uma prova de amor, dos pais de seu afilhado(a); mostrando que confiam em você
7) Quanto mais presente na vida da criança os padrinhos forem, melhor para todos, já que a criança contará com duas pessoas a mais para se apoiar, e os pais da criança tem uma contribuição a mais na educação.
8 ) É maravilhoso ter Comadres e Compadres!!! - é um amor indescritível!!
9) Quando falamos em padrinho e madrinha ou “compadre” e “comadre” estamos especificando a pessoa que estará junta “com o pai” e “com a mãe”
10) Resumindo são filhos a mais que eu tenho para criar. AMO!!

Roberta, Murillo, Anna Laura e Fernanda ("afilhada torta"): Amo vocês!


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Pedido

Querido Deus, a única coisa que eu te peço é pra cuidar da "minha vida" quando eu não estiver por perto…

terça-feira, 3 de abril de 2012

Pai de menina

Certeza de ter escolhido o pai certo pra minha filha é quando vejo ele "perdido" quanto à escalação do time favorito, mas sabe o nome de todas as princesas. :)

segunda-feira, 2 de abril de 2012

O que nos pediria um autista?


1 - Ajuda-me a compreender. Organize o meu mundo, facilite, antecipando o que vai acontecer. Me dê ordem, estrutura e não confusão.
2 - Não te angusties comigo, porque me angustio. Respeite o meu ritmo. Sempre poderás relacionar-te comigo, se compreenderes as minhas necessidades e o meu modo especial de entender a realidade. Não te deprimas, o normal é que eu avance e me desenvolva cada vez mais.
3 - Não me fale muito, nem depressa. As palavras são “ar” que não pesa para ti, porém podem ser uma carga muito pesada para mim. Muitas vezes, não são as melhores maneiras de te relacionar comigo.
4 - Como outras crianças e os outros adultos, necessito de compartilhar o prazer e o gosto de fazer bem as coisas, ainda que não o consiga sempre. Faz-me saber, de algum modo, quando faço as coisas certas e ajuda-me a fazê-las sem erros. Quando tenho muitas falhas, acontece-me o mesmo que a ti: irrito-me e acabo por recusar-me fazer as coisas.
5 - Necessito de mais ordens do que tu, mais previsibilidade no meio, que tu requeres. Teremos que negociar os meus rituais para convivermos.

6 - Torna-se difícil compreender o sentido de muitas das coisas que me pedem que faça. Ajuda-me a entendê-lo. Trata de me pedir coisas que podem ter um sentido concreto e decifrável para mim. Não permitas que me aborreça ou permaneça inativo.
7 - Não me invadas excessivamente. Às vezes, as pessoas são muito imprevisíveis, barulhentas e estimulantes. Respeita as distâncias que necessito, porém sem me deixares sozinho.
8 - O que faço não é contra ti. Quando fico bravo ou me agrido, se destruo algo ou me movimento em excesso, quando me é difícil atender ou fazer o que me pedes, não o faço para te magoar. Já que tenho um problema de intenções, não me atribuas más intenções!
9 - O meu desenvolvimento não é absurdo, ainda que não seja fácil de entender. Tem a sua própria lógica e muitas das condutas que chamas “alteradas” são formas de enfrentar o mundo a partir da minha forma especial de ser e de perceber. Faz um esforço para me compreender.
10 - As outras pessoas são demasiadamente complicadas. Meu mundo não é complexo e fechado, mas sim simples. Ainda que te pareça estranho o que te digo, o meu mundo é tão aberto, tão sem dissimulações nem mentiras, tão ingenuamente exposto aos demais, que se torna difícil penetrar nele. Não vivo numa “fortaleza vazia”, mas sim numa planície tão aberta que pode parecer inacessível. Tenho muito menos complicações do que as pessoas que são consideradas normais.

11 - Não me peças sempre as mesmas coisas nem me exijas as mesmas rotinas. Não tens de te fazer autista para me ajudares. O autista sou eu, não tu!
12 - Não sou só autista, também sou uma criança, um adolescente ou um adulto. Compartilho muitas coisas das crianças, adolescentes e adultos como os que chamas de “normais”. Gosto de jogar e divertir-me, quero os meus pais e pessoas que me cercam, me sinto satisfeito quando faço as coisas certas. Vale mais o que compartilhamos do que a distância que nos separa.
13 - Vale a pena viver comigo. Posso dar-te tantas satisfações como as outras pessoas, ainda que não sejam as mesmas. Pode chegar um momento na tua sua vida em que eu, que sou autista, seja a tua maior e melhor companhia.
14 - Não me agridas quimicamente. Se te disseram que tenho de tomar medicamentos, procura que a medicação seja periodicamente revista por um especialista.
15 - Nem os meus pais nem eu temos culpa do que acontece comigo. Tão pouco a tem os profissionais que me ajudam. Não serve de nada que se culpem uns aos outros. Às vezes, as minhas reações e condutas podem ser difíceis de compreender ou de enfrentar, mas não é por culpa de nada. A idéia de “culpa” não produz mais do que sofrimento em relação ao meu problema.
16 - Não me peças constantemente coisas acima do que eu sou capaz de fazer. Porém, pede-me o que posso fazer. Dá-me ajuda para ser autônomo, para compreender melhor, porém não me dê ajuda demais.
17 - Não tens que mudar completamente a tua vida pelo fato de viveres com uma pessoa autista. A mim não me serve de nada que tu estejas mal, que te feches e te deprimas. Necessito de estabilidade e bem-estar emocional em meu redor para estar melhor. Pensa que o teu parceiro tão pouco tem culpa do que acontece comigo.
18 - Ajuda-me com naturalidade, sem convertê-la numa obsessão. Para me poderes ajudar, tens de ter os teus momentos em que descansas ou em que te dedicas às tuas próprias atividades. Aproxima-te de mim, não te afastes, mas não te sintas como submetido a um peso insuportável. Na minha vida, tive momentos ruins, mas posso ficar cada vez melhor.
19 - Aceita-me como sou. Não condiciones o teu desejo a que eu deixe de ser autista. Seja otimista sem fazer “novelas”. A minha situação normalmente melhora, ainda que por hora não tenha cura.
20 - Ainda que seja difícil para eu comunicar ou não compreender as sutilezas sociais, tenho inclusive algumas vantagens em comparação aos que se dizem “normais”. É difícil comunicar-me, porém não consigo enganar. Não compreendo as sutilezas sociais, porém tão pouco participo das duplas intenções ou dos sentimentos perigosos tão freqüentes na vida social. Minha vida pode ser satisfatória se for simples, ordenada e tranqüila. Se não me pede constantemente e somente aquilo que é difícil para mim. Ser autista é um modo de ser, ainda que não seja o normal. Minha vida como autista pode ser tão feliz e satisfatória como a tua “normal”. Nessas vidas, podemos encontrar-nos e compartilhar muitas experiências.

Angel Rivière

Cada um tem seu jeito de ser e isso deve ser respeitado. Sempre.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Pérolas


(No fim do feriado...)

Filha: Mãe, por que a gente não fez um bolo?
Mãe: Porque não tinha fermento, que faz o bolo crescer.
Filha: Por que não comprou?
Mãe: A mãe não tinha dinheiro. A mãe não foi trabalhar, lembra?
Filha: Mas é só ir no banco e apertar o botão da máquina...

sábado, 24 de março de 2012

Meu anjo


Meu anjo. Não tem asas, mas me encanta...

segunda-feira, 19 de março de 2012

Filha...


... Não esquece que:
- Faço tudo pra te ver sorrir;
- Adoro quando tu acha que só eu te entendo;
- Quando tu pede para eu "te salvar" enquanto teu pai penteia teu cabelo;
- Amo quando tu faz perguntas inteligentes e ainda questiona;
- Tu me faz continuar...
- Minha vida não tem sentido sem a tua;
- Que tu é o que eu tenho de mais bonito;
- Que eu te amo filha, com todas as minhas forças.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Pérolas

Filha: Mãe, eu tô crescendo?
Mãe: Sim, meu amor.
Filha: Então a minha perna tá crescendo, meu braço tá crescendo, minha mão, meu pé e até meu cabelo estão crescendo?
Mãe: Isso mesmo filha. Tudo vai crescendo juntinho contigo.
Filha: Então porque "as minhas tetas" não crescem????

quinta-feira, 15 de março de 2012

Saudade


Pai,

Hoje faz 7 anos que nos deixaste.
Eu ainda lembro nitidamente de quando recebi a notícia. Eu chorei. Chorei muito.
Eu ainda lembro das tuas piadas, das tuas histórias e manias. E dou risada.
Ainda lembro das "junções" da família e do quanto as festas ficavam mais alegres. Ríamos de ti e contigo....

Lembro de ti sentado no pátio da casa da praia, essa que perdeu um pouco o encanto sem a tua presença.
Ainda lembro de muita coisa (me acostumo, mas não esqueço).
Por mais distante que esteja, eu ainda sinto tua presença aqui perto de mim e da minha filha.
Ela não te conheceu e mesmo assim te ama. Nós duas te amamos e sentimos tua falta.

Vô,

Hoje faz  8 anos que nos deixaste.
Eu também sinto a tua falta. Muita. E sei que minha filha seria muito mais mimada do que eu fui por ti.
Ela não te conheceu, mas sabe o quanto tu foi importante pra mim.

Saudade,
Inha/Bina

sexta-feira, 9 de março de 2012

Esperta


Minha "mocinha" inteligente e esperta.

Parceira


Minha parceira de viagem.
Não há companhia melhor...

sexta-feira, 2 de março de 2012

A força dos nossos pés


Desde o dia em que tu nasceste, eu criei a ilusão, dentro de mim, que poderia caminhar por ti.
Imaginei que colocaria teus pés sobre os meus e te levaria pelos caminhos que eu julgasse mais tranqüilos e seguros.
Dessa maneira, tu nunca feririas teus pés pisando em espinhos ou em cacos de vidro e jamais se cansaria da caminhada, nem mesmo precisarias decidir qual estrada tomar. Isso seria eternamente minha responsabilidade.
...e foi assim durante um bom tempo, caminhei por ti, para ti.

De repente, o tempo veio me avisar bruscamente que essa deliciosa tarefa não faria mais parte dos meus dias.
Teus pés cresceram e eu já não conseguia mais equilibrá-los em cima dos meus, daí quando eu menos esperava eles escorregaram e alcançaram o solo.
Hoje sou obrigada a vê-los trilhar caminhos nos quais os meus jamais os levariam e ainda tento detê-los insistentemente, mas só raríssimas vezes consigo.
Agora só me é permitido correr com os meus junto aos teus e em certos momentos teus passos são tão largos que quase não posso acompanhá-los.
Atualmente, assisto aos teus tropeços sempre pronta para levantar-te das tuas quedas.
Por vezes, tu me estendes as tuas mãos em busca de socorro, outras, mesmo estando estirado ao chão e ferido, insistes em levantar-te sozinho por puro orgulho ou para me provar que já és capaz de erguer-te após teus tombos e curar-te de tuas próprias feridas.
Assim vamos vivendo e sinto uma saudade imensurável daquele tempo que precisavas de mim para conduzi-la, pois era bem mais fácil suportar teu peso sobre meus pés, do que sobre meu coração.
No entanto, já consigo compreender como a vida é sábia.

Percebo, finalmente, que em algum momento tu precisaste mesmo desbravar teus caminhos independente de mim...
...como eu, é provável que tenhas que fazê-lo com mais alguns pés sobre os teus, os dos teus filhos.
Não, claro que não é uma tarefa fácil, mas se eu consegui, tu também conseguirás porque plantei em teu coração o melhor e mais poderoso aditivo para que suportes tanto peso, o amor!

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Pérolas

E eu chego na casa da minha mãe e ela tá deitada no chão, brincando de mãe e filha com a Bella, pode?

Aí ela se justifica q a "mãe" mandou a "filha" dormir...

Amor de vó é assim.

Coisas da vida II


Há alguns meses escrevi que ia pedir uma "verba" para Deus de muita força e saúde para duas crianças, já que fui abençoada com a saúde da minha filha.
Infelizmente uma delas nos deixou ontem.
Eu chorei muito. Chorei porque não entendo o porquê desse tipo de coisa acontecer com crianças. Chorei porque me coloquei no lugar da mãe.

Imagina eu nunca mais poder abraçar a minha filha? Imagina eu nunca mais vê-la nas apresentações da escola? Não podermos mais tomar banho juntas? Fazermos compras, conseguirmos convencer o Gustavo a comprar milk shake?
Imagina eu ficar sem as minhas forças? Sem minha alegria?

Não. Eu não consigo imaginar a vida sem minha filha. Minha vida sem ela é NADA.

Agora, peço a Deus muita força para esses pais. Para que eles se acostumem com essa dor. Essa que eu não quero sentir NUNCA.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Pérolas

O que se faz com uma menina de 3 anos que quando a mãe pede mais de uma vez a mesma coisa, ela se vira e diz:

Te acalma "faca véia"!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Pérolas


Filha: Mãe, por que tu tem que trabalhar?
Mãe: Pra conseguir dinheiro. Pra comprar presentes.
.................................................................................

Filha: Mãe por que tu tá arrumando a minha mochila?
Mãe: Porque a mãe vai trabalhar amanhã e tu vai ficar na casa da vó.
Filha: Tu não conseguiu dinheiro ainda??

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Coisas que ninguém me contou...


... e eu aprendi depois da gravidez:
 - Aprendi que até pra trocar a fralda há um jeitinho. Se não, ela vaza... Aliás, o consumo de água e fralda nos primeiros meses são bem parecidos!

- Que eles adoram sujar uma fralda limpa;

- Que eu teria que usar um sutiã aberto na frente, bege e feio por muitos meses;

- Que eu trocaria a assinatura da minha revista por uma que só falasse de criança;
- Que eu falaria com minha barriga e quanto mais ela crescia, mais feliz eu ficava (hoje eu tento diminuí-la todos os dias... rsrsrs);

- Que eu teria que comprar conchas e protetores para os meus peitos!
- Que eu ia vibrar se conseguisse dormir 4 horas direto;
- Que se eu desse bola para todos os “palpites”, ficaria louca;
- Que eu iria me “aliar” com uma bombinha para alimentar a minha filha, já que não se adaptou a nenhum leite...
- Que poderia ter sido confundida com um urso panda por causa das minhas olheiras;
- Que eu aprendo muito mais com minha filha do que ensino a ela;
- Que eu não sabia que poderia amar tanto;
- Que nada mais importa além da felicidade e saúde da minha filha;
- Que por ela eu mato. Ou morro.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Minha Vida


Filha,
Te curto todos os dias. E gosto. Te gosto. Muito.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Por quê?


Por que tu é minha mãe?
Por que chove?
Por que eu tenho que dormir?
Por que eu tenho que tomar banho?
Por que a gente solta "pum"?
Por que a gente faz xixi?
Por que tu dirige?
Por que tenho que usar roupa?
Por quê? Porquê?

Ah, filha... Por que eu te amo tanto???

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Férias programadas



Eu trabalho o dia inteiro. Minha filha está de férias e fica com minha mãe.
É paparicada até dizer chega. E assim a gente vai levando...

No verão, minha mãe vai pra praia e volta só depois do carnaval. Foi sempre assim. Não posso (e não vou) privá-la disso, até porque sempre pude contar com a minha sogra. Nesse verão surgiu a hipótese da Bella ir com minha mãe e eu encontrá-la nos finais de semana.

Comecei a "pensar" em me acostumar com a idéia. Daí surgiram sensações e pensamentos do tipo: "minha filha (principalmente eu) precisa enfrentar desafios". Esse, o meu lado racional pensando, mas adivinha quem falou mais alto?

Meu lado emocional acha que não estou preparada para tão cedo enfrentar a "Síndrome do Ninho Vazio".
Como chegar em casa e não ganhar aquele abraço, ouvir aquelas histórias, comer a "comidinha" que ela faz?

Podem me chamar de louca, mas eu prefiro mão coruja. Podem dizer que eu sou um "grude", mas eu prefiro aproveitar enquanto eu posso. Já que não sei se no próximo verão eu conseguirei segurá-la embaixo da minha asa...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Aniversário

Parabéns para aquele que acha que refrigerante é água e que pirulito é fruta!
Felicidades para o Vô Geraldo, né filha?

domingo, 22 de janeiro de 2012

Quando criança


Filha,

Aproveite bem as pequenas coisas. Um dia você vai saber o quanto elas eram grandes.

Com amor,
Mãe

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

E essa tal felicidade...



O que se busca nessa vida? Ser feliz!

Tem gente que acha que só será feliz se comprar um carro novo, ter uma casa na praia, casar... E nem percebem o que acontece antes disso.

Não se tocam que muitas viagens legais podem acontecer com carro velho, não dão valor de quanta coisa gostosa acontece quando se aluga uma casa com a família (torcendo para que faça sol todos os dias!), esquecem de valorizar aquele friozinho na barriga que dá no início do relacionamento.

Eu consegui um carro novo, mas tenho tanta história quando não tinha um.. A casa da praia foi conquistada pelos meus pais, mas ainda lembramos quando íamos para o mar todos os dias pra poder aproveitar, antes que devolvessemos a casa alugada ao dono. E aquela indecisão de não querer namorar o meu marido, pois eu havia saído de um longo relacionamento... E hoje ele é o pai da minha filha!

A felicidade é simples.

É chocolate na TPM, um abraço da minha filha, um elogio, ter saúde, um chimarrão no Parcão enquanto a filha se diverte, festa de criança, ler na rede, risadas de fotos antigas, encontro com meus irmãos, chuva, filme e cama, dormir abraçado, etc.

Simples assim.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Elogie do jeito Certo



Recentemente um grupo de crianças pequenas passou por um teste muito interessante. Psicólogos propuseram uma tarefa de média dificuldade, mas que as crianças executariam sem grandes problemas. Todas conseguiram terminar a tarefa depois de certo tempo. Em seguida, foram divididas em dois grupos.

O grupo A foi elogiado quanto à inteligência. “Uau, como você é inteligente!”, “Que esperta que você é!”, “Menino, que orgulho de ver o quanto você é genial!” ... e outros elogios à capacidade de cada criança.

O grupo B foi elogiado quanto ao esforço. “Menina, gostei de ver o quanto você se dedicou na tarefa!”, “Menino, que legal ter visto seu esforço!”, “Uau, que persistência você mostrou. Tentou, tentou, até conseguir, muito bem!” ... e outros elogios relacionados ao trabalho realizado e não à criança em si.

Depois dessa fase, uma nova tarefa de dificuldade equivalente à primeira foi proposta aos dois grupos de crianças. Elas não eram obrigadas a cumprir a tarefa, podiam escolher se queriam ou não, sem qualquer tipo de consequência.

As respostas das crianças surpreenderam. A grande maioria das crianças do grupo A simplesmente recusou a segunda tarefa. As crianças não queriam nem tentar. Por outro lado, quase todas as crianças do grupo B aceitaram tentar. Não recusaram a nova tarefa.

A explicação é simples e nos ajuda a compreender como elogiar nossos filhos e nossos alunos. O ser humano foge de experiências que possam ser desagradáveis. As crianças “inteligentes” não querem o sentimento de frustração de não conseguir realizar uma tarefa, pois isso pode modificar a imagem que os adultos têm delas. “Se eu não conseguir, eles não vão mais dizer que sou inteligente”.
As “esforçadas” não ficam com medo de tentar, pois mesmo que não consigam é o esforço que será elogiado. Nós sabemos de muitos casos de jovens considerados inteligentes não passarem no vestibular, enquanto aqueles jovens “médios” obterem a vitória. Os inteligentes confiaram demais em sua capacidade e deixaram de se preparar adequadamente. Os outros sabiam que se não tivessem um excelente preparo não seriam aprovados e, justamente por isso, estudaram mais, resolveram mais exercícios, leram e se aprofundaram melhor em cada uma das disciplinas.

No entanto, isso não é tudo. Além dos conteúdos escolares, nossos filhos precisam aprender valores, princípios e ética. Precisam respeitar as diferenças, lutar contra o preconceito, adquirir hábitos saudáveis e construir amizades sólidas.

Não se consegue nada disso por meio de elogios frágeis, focados no ego de cada um. É preciso que sejam incentivados constantemente a agir assim.

Isso se faz com elogios, feedbacks e incentivos ao comportamento esperado.
Nossos filhos precisam ouvir frases como: “Que bom que você o ajudou, você tem um bom coração”, “parabéns meu filho por ter dito a verdade apesar de estar com medo... você é ético”, “filha, fiquei orgulhoso de você ter dado atenção àquela menina nova ao invés de tê-la excluído como algumas colegas fizeram... você é solidária”, “isso mesmo filho, deixar seu primo brincar com seu video game foi muito legal, você é um bom amigo”.

Elogios desse tipo estão fundamentados em ações reais e reforçam o comportamento da criança que tenderá a repeti-los.  Isso não é “tática” paterna, é incentivo real.

Por outro lado, elogiar superficialidades é uma tendência atual. “Que linda você é amor”, “acho você muito esperto meu filho”, “Como você é charmoso”, “que cabelo lindo”, “seus olhos são tão bonitos”.

Elogios como esses não estão baseados em fatos, nem em comportamentos, nem em atitudes. São apenas impressões e interpretações dos adultos. Em breve, crianças como essas estarão fazendo chantagens emocionais, birras, manhas e “charminhos”.
Quando adultos, não terão desenvolvido resistência à frustração e a fragilidade emocional estará presente.

Homens e mulheres de personalidade forte e saudável são como carvalhos que crescem nas encostas de montanhas. Os ventos não os derrubam, pois cresceram na presença deles. São frondosos, copas grandes e o verde de suas folhas mostra vigor, pois se alimentaram da terra fértil.

Que nossos filhos recebam o vento e a terra adubada por nossa postura firme e carinhosa.

* Marcos Meier é psicólogo, professor de Matemática e mestre em Educação. Especialista na teoria da Modificabilidade Estrutural Cognitiva de Reuven Feuerstein, em Israel. Também conhecida como teoria da Mediação da Aprendizagem.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Pérolas



Filha: Mãe, por que eu tenho olhos?
Mãe: Pra enxergar.

Filha: Mãe, por que eu tenho perna?
Mãe: Pra andar.

Filha: Mãe, por que eu tenho barriga?
Mãe: (...) Pra guardar a comida que tu come. (Foi o que veio na hora.)

Filha: Mãe, por que eu tenho braço?
Antes que eu penssase na resposta, minha pequena me deu um abraço e respondeu: "Pra te abraçar..."